Energia 101

Nestes últimos tempos, muito se tem falado em energia, matéria, frequências e vibrações. Não vivemos num universo feito de matéria? Essa matéria não gera energia? Nós afinal sabemos sobre tudo isto. Porquê tanto falatório?

Bem, ao que parece, pode não ser bem assim. Muitos esotéricos defendem uma teoria que, apesar de não ser possível ainda de provar, por falta de tecnologia adequada, não pode ser posta de lado pelo mesmo motivo. Ela diz-nos que tudo advém da energia, e que a própria matéria é, de facto, energia num estado vibratório especifico.

Deixo um pouco do meu pensamento actual, bem como uns links de fácil consulta para alguns termos e conceitos. Estes links não excluem a consulta de outros documentos mais profundos sobre o assunto em vulgarizado neste escrito.

As bases

Algumas fontes ocultas começam a revelar algum do seu conhecimento esotérico nestes últimos tempos. Um destes conhecimentos será a visão que os mesmos têm do universo. Esta tem como fundamento que tudo o que vemos, tudo o que somos, tudo o que experiencial é, de facto, energia pura. Tal teoria parece descabida, pois, se tudo é energia, como raio o meu chapéu se sustenta na minha cabeça?

Ora, uma explicação para esta teoria leva-nos aos tempos de Einstein com a sua tentativa de criar uma teoria unificada para o macro-cosmos e micro-cosmos. Mas o mesmo padeceu na tentativa, visto a teoria da relatividade geral e a da física quântica descreverem o universo de maneira completamente diferente.

Ora visto não ter as capacidades do grande físico, não vou descrever em detalhe o porquê do terrivel falhanço da unificação. Dessa tentativa foram então enumeradas algumas teorias que tentavam explicar a gravitação quântica bem como a gravidade geral com a teoria das supercordas. Esta foi descartada por detalhes quânticos. Uma descendente desta teoria, é a teoria bossônica das cordas. Esta teoria diz algo do género:

“pode-se deduzir que cada corda pode vibrar em muitos diferentes modos, e que cada estado vibracional representa uma partícula diferente. A massa da partícula e a maneira que ela pode interagir são determinadas pela forma de vibração da corda — em essência, pela “nota” que a corda produz. A escala de notas, cada uma correspondente a um diferente tipo de partícula, é denominada o “espectro” da teoria.”

Estas últimas teorias, apesar de enfadonhas para o comum mortal, começa não só a unificar a física como um todo, mas a própria ciência com a espiritualidade esotérica. Parece que no fim, começam todos a falar a mesma linguagem. Desde a teoria da relatividade que temos uma relação directa entre a energia e a massa(E=MC2). Outro dado curioso sobre esta teoria é que, quanto maior for o movimento duma particula, maior é a sua massa(tendendo esta massa para infinito quanto mais proximo da velocidade da luz), sendo esta velocidade sempre RELATIVA entre o observador e o observado.

Além da energia

Agora vamos focar algo não tão enfadonho, mas de facto, necessário para futuras explicações. Matéria é algo que tem massa, ocupa espaço e rege-se pela lei da inércia. Isto até há bem pouco tempo, pois hoje considera-se também como matéria, energia a vibrar numa baixa frequencia.

Vamos então partir do ponto que, a partir de energia, conseguimos fabricar as partículas constituintes do átomo(electrões, protões, neutrões, ou melhor, quarks e leptões, ou outros afins que venham a descobrir). A massa desses átomos essencialmente não ocupa espaço, sendo o tamanho de um átomo de 10.000 a 100.000 vezes maior que o próprio núcleo. Com isto estamos, de facto, a considerar como massa o que podemos ver e o que para nós é mensurável. Mas então e se tivermos outros tipos de massa(energia a vibrar dentro de outras gamas de frequência)? Sabemos que os átomos se repelem devido a uma força electromagnética gerada pelos mesmos, inibindo assim a sobreposição de átomos. Desta maneira dois átomos não ocupam o mesmo espaço, mantendo uma distância de segurança entre eles.

Existem duas questões às quais não tenho resposta. Pode uma energia numa gama de frequência diferente(formando massa num espectro distinto) co-existir com a nossa massa? E será essa massa influenciada pelo campo electromagnético da nossa massa?

Estas questões estão fora do meu conhecimento da teoria esotérica do universo, pelo que tentarei aprofundar em futuros acessos à criatividade escrita, que não é muita, por sinal. Espero ter aberto o assunto para futuras curiosidades sobre o assunto.

Links rápidos:
  1. Esquila
    Novembro 26, 2009 às 19:50

    Vishuda

    Gostei imenso de ler o teu artigo, pois, de momento interesso-me por fazer pesquisas sobre estes assuntos. Nunca creditei nestas coisas, mas agora que disponho de mais tempo, na minha vida, isto dá que pensar…
    Continua a apresentar artigos esotéricos, porque eu quero aprender mais.
    Obrigada e

    Sucesso para as tuas escritas

    Esquila

  2. fernanda
    Novembro 26, 2009 às 20:00

    Vishuda

    Gosto muito deste artigo,continua as pesquisas para irmos mais alem.Parabens.

  3. fernanda
    Novembro 26, 2009 às 20:01

    Vishuda

    Gosto muito deste artigo,continua as pesquisas para irmos mais alem.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: