Início > Geral, Religião > V Imperio e Terceiro Segredo de Fátima

V Imperio e Terceiro Segredo de Fátima

  

Outrora tendo sido uma grande potência no Mundo, o país mais avançado em questões nauticas, possuidor de um vasto Império além-mar na época dos Descobrimentos, Portugal, é hoje um país que anda em busca das suas origens perdido no tempo de sua Alma Ancestral. Porém, é dentro de si mesmo que reúne o conhecimento templário dos Mistérios Antigos e segredos do “Santo Graal”. O ilustre Mestre Lima de Freitas, sabia isso e fez os seus quadros inspirados, cujos temas ilustrados no livro “Porto do Graal”, mostram a “riqueza ocultada da tradição mítico-espiritual portuguesa” que Fernando Pessoa já tinha vislumbrado e transmitido em sua “Mensagem” que poucos ainda entendem quando profetizava: “Cumpriram-se os Mares, o Império se desfez. Senhor, falta cumprir-se Portugal!”, o do V Império, como reino Espiritual e não como uma potência económica mundial. 

 

Na verdade caberá a este pequeno país à Beira-Mar plantado o seu papel que o saudoso Prof. Agostinho da Silva idealizava como o “Menino Jesus das Nações”, sabedor de uma Verdade Transcendental acima de todas as crenças e religiões, dogmas ou superstições. Aqui está a luz vinda do Oriente que iluminará por inúmeras gerações.  Este país lusitano (de Lux-Citânia, lugar de Luz) será o “Mensageiro” da Nova Era, simbolizado pelo número 515 no livro de Dante, que levará a toda a parte o “Selo Solar” desvelado há muito pelos que já libertaram as suas mentes e fizeram melhores seus corações. Aliás, dizia o distinto Prof. Henrique José de Sousa o seguinte: “Entre todas as raças da humanidade, desde o alvorecer dos tempos, existe a tradição de uma Terra Sagrada ou Paraíso terrestre, onde os mais elevados ideais da humanidade são realidades vivas. Este conceito é encontrado nos escritos mais antigos e nas tradições dos povos da Europa, Ásia Menor, China, Egipto e Américas. Esta terra sagrada pode ser conhecida somente das pessoas merecedoras, puras e inocentes, razão pela qual constitui o tema central dos sonhos da infância”…
Por fim, uma lenda Oriental vaticina que “o cálice sagrado (o Graal que já esteve em Portugal) será encontrado quando se aproximarem os tempos de Shamballah”, o lendário reino do Prestes João da Tradição Lusiada, os Reinos Internos da Terra ou Agharta, o Lugar Sagrado onde Melquisedeque dirige os “destinos do Mundo”.
 
 Terá isto alguma coisa a ver com o Terceiro Segredo de Fátima?
 No qual a única frase que foi permitida divulgar sobre
Portugal terá sido: “Em Portugal se conservará sempre o dogma da fé; etc” Sugerindo que ficou mais por dizer…

Fontes: http://historia-ancestral.blogspot.com/2009/12/porto-graal-e-o-v-imperio.html

Anúncios
Categorias:Geral, Religião
  1. Numero6
    Fevereiro 2, 2010 às 14:03

    Deixo-te o link para fazer o download do livro “Notre Dame de l’Apocalypse ou le troisième secret de Fatima” ( em francês) de Pierre Jovanovic em formato .pdf .

    http://www.megaupload.com/?d=KZN0LSSU

  2. driadeh
    Fevereiro 2, 2010 às 19:03

    Vou tentar fazer o download. Obrigado 😉
    Sobre este assunto é também interessante a Biografia de Giorgio Bongiovanni
    http://www.unpuntoenelinfinito.com/biografiagiorgio.html

  3. Setembro 6, 2010 às 21:54

    Deus é nosso pai,e Ele veio em nosso socorro,como o pecado entrou no mundo, e corrompeu a carne, entao a porta do céu se feixou para o ser humano…
    os nossos antepassados,ficaram dormindo nas trevas;até segundo a vontade de Deus.
    entao Como Deus preparou a humanidade,vinha em socorro, p/prepar um caminho q so por Deus, podia acontecer;Ele fes a mae,Esta menina filha da flor (santa Ana)porque,seu esposo joaquin era um Rei,se auzentou em vigilia, orar a Deus que mandse filhos. pois qdo voltou sua mulher,estava gravida de Maria, isto é mistério de Deus. José foi Pai adotivo de jesus,os irmaons de jesus, sao os primos e parentes, costume de seu paiz;nossa carne ficou como uma maldiçao corrupta.sabe porque temos a certeza,q vamos serem salvos?por causa do sangue das chagas do cristo,e temos q ofere-las à Deus !!o beneficio destas chagas fas descer as graças DO CéU E FAZ SUBIR as Almas,dos queridos q nos,deicha aqu,terra.
    qdo minhas chagas se abriram , houve um “engano”homen,que julgou que Elas terminaria ;Mas nao,Elas sao Etérnas,este Sangue continua sobre os Atares gotejando sobre os pecadores,na Eucaristia,meu sangue é um pacto que fiz ao meu pai,meu corpo é a igreja, seu coraçao é meu calise de sangue, para meus filhos..
    Fasa isso memoria de mim;quem comer e beber o meu sangue,terà vida Eterna.nao é um siples pao,se a greja nao tiver o sacrario,ali nao existe Jesus,porque o homen nao vive so da palavra,mas do verdadeiro corpo e sangue,so na igreja catolica,devido o sacramentos do sacerdotal, esta igreja foi fundada, por jesus Cristo,A igreja una na trindade santa,Pai filho Espirito Santo.
    Amém

  4. Setembro 6, 2010 às 22:10

    quero tetemunhar de uma grande graça,recebida e alcassada por ALAIDE QUELUZ RONCHI DE CRICIUMA S.C. PAPAI TINHA 45 ANOS DEZENGANADO POR MéDICOS..NA IGREJA SANTO AUGUSTINHO UMA LINDA IMAGEM DE NOSSA SENHORA DE FATIMA. JA FASEM ISTO NO ANOS 1950,,,PAPAI SO VEIO FALECER 86 ANOS DE IDADE, ESTA IMAGEM CONTINUA LA …POIS ELA é SEMPRE COROADA,; CONTINUA DE GERAçAO p/ GERAçAO…

  5. Novembro 15, 2011 às 12:20

    Se nos Lusíadas a ultima palavra define o pecado dos portugueses que nos impede de ser grandes “ Inveja”,

    Em Fernando Pessoa que foi para além de grande poeta um iniciado e astrólogo que soube sentir a pátria, o seu estado de alma. No nosso entender ele contribuiu para a descoberta e antevisão do nosso futuro através da sua “Mensagem”

    O último poema da mensagem correspondente à 3ª parte (O Encoberto) é precisamente o 5º poema intitulado “ Nevoeiro” curioso é a simbologia a 3ª parte é a ultima parte de uma trilogia, se pensar-mos na trilogia cristã o reino do pai à, 4 mil anos o solstício de primavera dava-se sobre o Egipto, à 2 mil anos na era do filho o solstício dava-se sobre Roma e agora volvidos mais dois mil anos, dá-se sobre a península Ibérica. Por esse motivo as festas de espírito Santo em Tomar e nos Açores.

    O facto de ser o 5º poema remete-nos imediatamente para o 5º Império que esteve sempre bem presente ao longo da nossa história nas tradições e na bandeira representado pelos escudetes.

    Este poema reflecte o estado a que os nossos políticos levaram o nosso povo:

    NEVOEIRO

    Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
    Define com perfil e ser
    Este fulgor baço da terra
    Que é Portugal a entristecer
    Brilho sem luz e sem arder,
    Como o que o fogo-fátuo encerra.

    Ninguém sabe que coisa quer.
    Ninguém conhece que alma tem,
    Nem o que é mal nem o que é bem.
    (que ânsia distante perto chora?)
    Tudo é incerto e derradeiro.
    Tudo é disperso, nada é inteiro
    Ó Portugal, hoje és nevoeiro…

    É a hora!

    É fácil pela leitura do poema que dispensa explicações, entender que chegamos ao ponto de dizer que é a nossa hora enquanto povo, de reagirmos de cumprir o destino de ser português!

    O destino de Portugal é fundar o 5º Império e o 5º Império o que é? Quanto a mim é uma nova forma de governar e fazer politica que vai trazer aos povos a “Pax in Excelsis”

    No segundo poema dos símbolos do Encoberto Pessoa dá-nos a receita para nos libertarmos:

    Triste de quem vive em casa,
    Contente com o seu lar,
    Sem que um sonho, no erguer de asa,
    Faça até a mais rubra a brasa
    Da lareira a abandonar!

    Triste de quem é feliz!
    Vive porque a vida dura.
    Nada na alma lhe diz
    Mais que a lição da raiz –
    Ter por vida a sepultura.

    Eras sobre eras se somem
    No tempo que em eras vem.
    Ser descontente é ser homem
    Que as forças cegas se domem
    Pela visão que a alma tem!

    Só através da mobilização e da manifestação do descontentamento e da acção sobre as forças maléficas (o poder actual) o bem se pode impor.

    No 3º Aviso sobre o desejado o poeta escreve:

    Screvo meu livro à beira mágoa.
    Meu coração não tem que ter.
    Tenho os meus olhos quentes de água
    Só tu, Senhor, me dás viver.

    Aqui o poeta identifica o desânimo e o choro que vai na alma dos portugueses!

    Só te sentir e te pensar
    Meus dias vácuos, enche e doura.
    Mas quando quererás voltar?
    Quando é o Rei? Quando é a hora?

    O poeta aqui identifica o tal sentido da hora de mudança com a vinda do Rei. Quando chega a hora do rei e da mudança, interroga-se.
    Quando virás a ser o Cristo
    De aquém morreu o falso Deus,
    E a despertar do mal que existo
    A Nova Terra e os Novos Céus?

    O poeta aqui pergunta quando serás a luz, o escolhido, quando acabará a mentira do falso rei. Quando nos livrarás do mal em que vivemos e quando irás trazer a nova esperança e vida?

    Quando virás, ó encoberto
    Sonho das eras português
    Tornar-te mais que o sopro incerto
    De um grande anseio que Deus fez?

    O poeta aqui pergunta, quando é que apareces para o povo te conhecer?

    Mas afinal quem é o encoberto, o Rei que todos procuramos para realizar o sonho da alma pátria e cumprir Portugal?

    O ENCOBERTO:

    Que símbolo fecundo
    Vem na aurora ansiosa?
    Na Cruz Morta do Mundo
    A Vida que é a Rosa

    Que símbolo divino
    Traz o dia já visto
    Na Cruz, que é o destino
    A Rosa que é o Cristo.
    Que símbolo final
    Mostra o Sol já desperto
    Na Cruz morta e fatal
    A Rosa do encoberto

    A Vida que é a Rosa; A Rosa que é o Cristo; A Rosa do encoberto, as rosas multiplicam-se dando origem a um rosário ou campo de rosas. O símbolo da rosa identifica o rei verdadeiro!

    Outras características que identificam o rei desejado:

    As Ilhas afortunadas:

    São ilhas afortunadas
    São terras sem ter lugar,
    Onde o Rei mora esperando.
    Mas se vamos despertando,
    Cala a voz, e há só o mar.

    Calma

    Que costa é que as ondas contam
    E não se pode encontrar
    Por mais naus que haja no mar?
    O que é que as ondas encontram
    E nunca se vê surgindo?
    Este som de o mar praiar
    Onde é que está existindo?

    Ilha próxima e remota,
    Que nos ouvidos persiste,
    Para a vista não existe.
    Que nau, que armada, que frota
    Pode encontrar o caminho
    À praia onde o mar insiste,
    Se à vista o mar é sozinho?

    O rei verdadeiro nasceu ou vive numa ilha próxima e remota.

    Haverá rasgões no espaço
    Que dêem para o outro lado
    E que, um deles encontrado,
    Aqui onde há só sargaço,
    Surja uma ilha velada,
    O país afortunado
    Que guarda o rei desterrado
    Em sua vida encantada?

    Rasgões no espaço, refere-se a vinda do Rei desterrado de avião, o Rei que tem uma vida encantada.

    O desejado:

    Onde quer que entre sombras e dizeres
    Jazas remoto, sente-te sonhado

    O assunto do rei verdadeiro estavam aparentemente enterrado, mas alguém sonhava com o Desejado!

    E ergue-te do fundo de não – seres
    Para o teu novo fado!

    O facto de não ser uma situação normal não impede de cumprir o destino, como Desejado!

    Vem Galaaz com a pátria, erguer de novo,
    Mas já no auge da suprema prova
    A alma penitente do teu povo
    À eucaristia Nova

    Vem fiel cavaleiro, aquele a quem foi confiada a missão, vem erguer a pátria e celebra com o teu povo um novo compromisso, uma forma diferente de fazer e viver a vida!
    Galaaz é o cavaleiro a quem se confiam missões!

    Mestre da paz, ergue o teu gládio ungido,
    Excalibur do Fim, em jeito tal
    Que sua Luz ao mundo dividido
    Revele o santo Graal!

    Revela ao povo a tua força e a tua bondade de forma tal que as pessoas divididas, vejam a verdade, o santo Graal!

    • driadeh
      Novembro 26, 2011 às 22:58

      Muito obrigado por nos recordar os versos de Pessoa. Encaixam-se perfeitamente no que estamos a viver em Portugal. Os portugueses estarão a ser testados através da crise económica, no entanto o nosso reino é o espiritual…. A inveja é um defeito que retrata o que cada um de nós tem dentro. 2012 será um ano decisivo durante o qual devemos meditar, reflectir e interiorizar-nos, pacificamente e com fé…

  6. Novembro 15, 2011 às 12:22

    Tudo o que não sabemos sobre a verdade na Casa Real Portuguesa http://www.reifazdeconta.com

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: