Início > Geral > A Origem das Coisas

A Origem das Coisas

Categorias:Geral
  1. Anarca
    Outubro 4, 2010 às 22:47

    Tão péssimo, devem ter aprendido economia no mesmo sítio onde o Sócrates tirou a licenciatura.

    Ora vejam a crítica por alguém que sabe melhor, e não é uma Socialista labrega.

    • vishuda
      Outubro 5, 2010 às 9:10

      Falho em perceber o conteúdo do comentátio. Penso que aqui discutem-se ideias com argumentos, os quais seriam bem-vindos, pois segundo os meus conhecimentos de economia, a socialista labrega não está errada. Mas estou sempre disposto a aprender ideias novas 😉 desde que tenham conteúdo, o qual gostaria que exposesse.

  2. Anarca
    Outubro 6, 2010 às 15:18

    Devemos primeiro saber onde este vídeo está a passar, que é em salas de aulas dos EUA.

    Primeiro erro, os 50% dos impostos federais está errado. Não consigo meter links, portanto azar.
    Depois refere que o Governo está, ou devería-nos proteger. Preciso dizer porque é que isto não funciona e o que a história nos ensina?

    Depois a estatística irrelevante da riqueza dos estados e das corporações. Essa estatística (não consigo meter link), compara o PIB de certos países com o volume de VENDAS das empresas. Portanto, parece que é mau as empresas venderem produtos e serviços às pessoas, muitos deles vitais para o funcionamento do Homem moderno.

    Depois, conservação da natureza. A menina esquece-se de dizer que são as mesmas empresas que extraem recursos naturais, repõem-nos.
    Um falácia é assumir que as corporações têm responsabilidade sobre a terra onde estão. A terra onde estão é, normalmente, do próprio Estado. Esse sim sempre tratou mal da sua propriedade, veja-se BP por exemplo. É outra lição que a história nos deu sobre o Socialismo e a terra de “todos” mas de ninguém. Não há incentivo para preservá-la se não for de privados.

    Depois o “usar coisas a mais”. A labrega não tem em conta que os países desenvolvidos têm uma indústria cada vez mais eficiente e que são os próprios mercados, não os Estado que desenvolvem soluções mais eficientes.

    Não me apetece ir mais longe. Mas outra parte importante são os sindicatos que elegem políticos e os lobbies das políticas “green”, como este que é subsidiado pela GE, muito ligada à Obamania. Outra lição do Socialismo.

    Enfim, depois de quase 1 século de experimentações socialistas na URSS, China, Europa e finalmente nos EUA, talvez os novos ricos e mimadinhos tivessem aprendido a lição. Mas é pedir demasiado, quando já estão envolvidos de tanta propaganda e de tão pouco material cerebral.

    • vishuda
      Outubro 6, 2010 às 16:31

      Quando ela diz que o governo existe para zelar por nós, é verdade. É para isso que ele existe. Para legislar e fiscalizar de acordo com os interesses da população. Depois desses interesses estarem satisfeitos, então logo deverá tratar dos interesses das empresas. Uma empresa só deveria ser instituída quando do interesse da comunidade(população).

      Quanto às empresas, claro que devem existir e criar os seus produtos. O que não está a bater certo é o lucro excessivo que tiram às custas de toda a cadeia em que tens a extracção às custas de recursos naturais limitados, na produção com a exploração humana, na venda com exploração humana e na destruição ou reutilização com penalização do ambiente e qualidade de vida das populações(não comparar isto com a história das alterações climatéricas). É por estas razões que as empresas têm lucros abismais e é a isto chama-se capitalismo selvagem, não interessando muito se aquele número está correcto ou não, o facto é que não está longe. Não esquecer que o seu computador foi fabricados com produtos que nunca serão repostos na natureza, ao custo de exploração do trabalho na china, à custa da exploração dos trabalhadores das transportadoras, à custa dos trabalhadores nas vendas e se alguma coisa é reciclável, será muito pouco(como este exemplo são quase todos os produtos de consumo).

      Quando diz que as empresas que extraem os recursos naturais que os repõem, discordo. Salvo raras excepções isso acontece e duvido que alguma vez na mesma escala. É por isso que temos menos florestas, mais água poluída, mais ar poluído, menos montanhas, mais minas esgotadas, etc. Muitos dos recursos extraídos demoram dezenas ou centenas de milhares de anos a serem repostos(nem tudo são árvores).

      Quanto à terra onde estão, sim é do Estado. Que trata dos interesses das corporações e não das populações(que como expliquei deveria ter outras prioridades).

      Quanto à terra ser de todos, duvido que seja um acto socialista(atenção que não sou socialista nem tenho alguma vertente politica), mas acho que se encaixa no comunismo. E quanto a haver incentivos de privados, só se não for para fazer dinheiro, mas sim quando alguns particulares têm “gosto” em faze-lo, como conheço vários casos. De resto, não vejo as corporações a tratarem de interesses comuns a não ser que sejam obrigadas ou para lavagem de capital.

      Quanto a indústria ser mais eficiente é verdade. Mas longe de ser suficiente. É mais eficiente quando tem lucros com isso. Metem-se máquinas e já não se exploram as pessoas que foram despedidas. Tudo tem o seu preço. Quanto à eficiência no uso dos recursos….mmmmm….muito longe de ser significativo.

      Quanto aos sindicatos, concordo com todas as letras. Temos mais uma vez a máquina politica a servir os interesses privados, como referi acima.

      Com quase 1 século de experiência, só teríamos aprendido a lição se nos ensinassem na nossa história, que é para isso que ela existe. Mas como os governos são controlados por interesses privados adversos à mudança, isso cada vez acontece menos. A propaganda é enorme e por muito que queiramos, a memória é fraca e o nosso tipo de sociedade está moldado para que a história não passe de boca em boca.

      Com tudo isto, acho que o processo económico dos materiais está bem representado pela labrega(sem conhecimento das estatísticas que diz incorrectas, mas que não acho relevantes vendo a informação apresentada).

      Um abraço e obrigado pelo comentário 🙂

      • Esquila
        Outubro 6, 2010 às 18:02

        Vishuda
        Folgo muito em ver-te de volta! Gostei bastante do que vi! É pena que as pessoas não estejam sensibilizadas para os problemas do nosso planeta, mas tudo isto vai ter de mudar, um dia, e espero que, esse dia não venha longe! Aí será separado o trigo do joio, e então, teremos a possibilidade de construir um mundo melhor.
        Força e não desistas!

    • RBzone
      Outubro 17, 2010 às 23:07

      coisa q costuma andar ausente da cabeça de quem acha q é possivel manter este ritmo de consumismo é q vivemos num planeta de recursos limitados… e q se o estilo de vida ocidental se espalhasse pelo mundo inteiro, a populaçao seria reduzida drasticamente e nao seria pelos melhores motivos…

  3. Outubro 6, 2010 às 17:22

    Anarca
    Acorda para a vida! É preciso não ter a mínima noção do que se passa à sua volta, do estado a que chegou este planeta, tudo devido à ganância desenfreada do lucro, a qualquer preço. O desrespeito pelo planeta que nos acolhe, que nos dá alimento, …
    Quando só nos preocupamos em sermos consumistas e materialistas, sem nos importarmos com as voltas que as coisas dão até chegarem a nós, isso revela um profundo desrespeito pelo próximo e pelo ambiente.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: