Início > Geral > Kepler descobre planetas que partilham a mesma órbita

Kepler descobre planetas que partilham a mesma órbita

01-03-2011
Em Ciência Hoje.

http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=47682&op=all

Fenómeno nunca tinha sido observado em nenhum sistema planetário

Fenómeno foi observado no sistema KOI-730, que tem quatro planetas (Imagem: NASA) 

Fenómeno foi observado no sistema KOI-730, que tem quatro planetas (Imagem: NASA)
.
O telescópio Kepler descobriu um sistema planetário com características nunca antes observadas, visto que dois dos planetas parecem compartilhar a mesma órbita ao redor de uma estrela central, revela um artigo publicado na revista “Astrophysical Journal”.
.
Caso esta descoberta seja confirmada, pode reforçar a teoria de que a Terra também já compartilhou a sua órbita com um corpo celeste das dimensões de Marte -Theia- , que mais tarde colidiu com o planeta e deu origem à Lua.
.
Estes dois planetas, que fazem parte do sistema planetário  KOI-730, completam o seu movimento de translacção em 9,8 dias e mantêm constantemente a mesma distância orbital, sendo que o primeiro está 60 graus à frente do segundo. Os investigadores acreditam que durante a noite de cada um, o outro aparece no céu como uma luz constante cujo brilho não varia.
.
Embora ainda não esteja confirmado, os especialistas pensam que o fenómeno acontece graças à gravidade. Quando um corpo (como um planeta) orbita outro muito maior (como uma estrela), há dois pontos ao longo da sua órbita que permitem que um terceiro corpo acompanhe esse movimento de forma estável. Esses pontos são localizados 60 graus à frente ou atrás do corpo de menor tamanho, tal como acontece com os asteróides que permanecem nesses pontos da órbita de Júpiter.
.
“Sistemas como este não são comuns e este é o único que já identificamos”, afirmou Jack Lissauer, investigador do Centro de Investigação de Mountain View, na Califórnia.
.
Quanto à possibilidade de os dois planetas do sistema KOI-730 colidirem e formem uma lua no futuro, os investigadores dizem que seria “espectacular”. Contudo, as simulações feitas sugerem  que ambos vão continuar a orbitar à mesma distância entre si por pelo menos mais 2,22 milhões de anos.

Categorias:Geral
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: