Início > Geral > Está a ser construído reactor para usar energia do sol

Está a ser construído reactor para usar energia do sol

A ciência está em marcha para dar origem a uma energia limpa, segura e inesgotável

A ciência está em marcha para criar um reactor que reproduz as reacções nucleares que ocorrem no sol, dando origem a uma energia limpa, segura e inesgotável. Há já projectos e conhecimento, mas falta ainda a viabilidade comercial, escreve a Lusa.

A energia nuclear é aquela que se liberta em transformações do núcleo dos átomos, que constituem a matéria, e há dois processos de obter quantidades significativas de energia, explicou à agência Lusa Carlos Varandas, director do Centro de Fusão Nuclear, do Instituto Superior Técnico (Lisboa).

Um desses processos é a fissão nuclear, que consiste na desintegração de átomos de elementos pesados como o urânio e que é o utilizado nas centrais nucleares. O outro é a fusão nuclear, a coalescência de dois átomos leves, como o hidrogénio.

«Em ambos os casos há redução de massa e essa redução de massa multiplicada pelo quadrado da velocidade da luz dá origem a uma libertação de energia» em grandes quantidades para a atmosfera, explicou o cientista.

Esta é a «fonte de energia do universo e da vida na Terra, porque todo o calor e luz que chegam à Terra são produzidas no Sol a partir de reacções de fusão nuclear».

A energia obtida a partir da fusão nuclear tem mais vantagens e menos riscos.

«Enquanto um reactor de fissão funciona sob pressão, como uma panela de pressão que se alguma coisa funcionar mal rebenta, o reactor de fusão funciona em vácuo. Se alguma coisa funcionar mal implode, vai para dentro».

Outra vantagem é que num reactor de fissão é preciso colocar o combustível no interior no início da operação, enquanto que no de fusão os combustíveis vão entrando para o reactor à medida que são queimados.

«É como se um reactor de fusão fosse um bico de gás, que à medida que vai queimando o gás para aquecer a panela, vai consumindo o gás que vem da rede ou das botijas», exemplificou. Em caso de avaria, basta fechar o bico do gás e a chama acaba.

É isso que se fará num reactor de fusão: «Em caso de avaria a única coisa que há a fazer é fechar uma válvula de admissão do gás e as reacções param».

Além disso, este sistema não permite que o reactor atinja elevadas temperaturas, porque nunca há dentro do reactor grandes quantidades de combustível que possam provocar explosões ou o derretimento da câmara do reactor.

Em relação ao lixo radioactivo, os reactores de fusão também o produzem, mas de baixa radioactividade que, com os materiais actuais, se perde em menos de cem anos, explicou.

Com a nova geração de materiais que está a ser desenvolvida o objectivo é que a radioactividade se perca em dez anos.

Nos reactores de fissão, quando a operação termina existe grande quantidade de lixo, parte do qual com radioactividade muito intensa que leva milhares de anos a perder-se. Esses resíduos têm de ser armazenados em cemitérios nucleares, que são normalmente buracos cravados na crosta terrestre a grande profundidade, em zonas estáveis do ponto de vista geológico e onde não haja níveis freáticos, cursos de água. Mesmo assim, esses resíduos são encapsulados em plásticos para evitar contaminação.

«Essa energia [de fusão] ainda não é obtida porque apesar das experiências já feitas apenas se conseguiu um ganho de energia de 0,6. Gastámos 25 mega watts de potência a operar uma máquina, que é o JET (Joint European Torus), em Oxford, e só obtivemos como retorno 16 mega watts», explicou Carlos Varandas.

Os cientistas estão a construir o primeiro reactor experimental de fusão nuclear, em Cadarache, França, onde se espera que com os mesmos 25 mega watts de potência «se obtenha qualquer coisa entre 250 e 500 mega watts, ou seja, um ganho de aplicação de energia entre 10 e 20».

Contudo, Carlos Varandas refere que os estudos económicos apontam para que um reactor de fusão só será viável com um ganho de aplicação de energia da ordem dos 40.

http://www.tvi24.iol.pt/tecnologia/sol-nuclear-reactor-franca-ciencia-tvi24/1242312-4069.html

Sempre atento:

Observer!

Categorias:Geral
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: