Arquivo

Archive for the ‘Budismo’ Category

A Interpretação Gnóstica do Xadrez

Dezembro 9, 2010 6 comentários
O Jogo da Vida vulgarmente conhecido como Xadrez, é o Jogo que representa simbolicamente a Vida em si, o percurso de cada um em cujo objectivo é ascender, transmutar, como em alquimia, as energias e eliminar os nossos egos, limpando o nosso transfundo para de Seres Lunares (o que somos) ascendermos a Seres Solares (o que pretendemos ser). Porém a vida é um tabuleiro de xadrez, no qual cada um dos nossos actos é uma jogada. Se as nossas jogadas forem boas, inteligentes e oportunas o resultado será o êxito, saúde e longevidade. Se pelo contrário as nossas jogadas forem feitas de má-fé, egoístas e inoportunas, o resultado será o fracasso, a enfermidade e a morte.
  • O Tabuleiro: É o jogo da Vida e nunca sabemos quando jogamos a última partida. O Tabuleiro é um quadrado perfeito com 8 casas em cada um dos quatro lados. Representam as 8 Dimensões Cósmicas e as 8 realidade alternativas.
  • Os Quadrados Pretos e Brancos: Símbolo maçónico que representa o dualismo cósmico da terceira dimensão, representando o Yin e o Yang, a Roda do Samsara ou Roda da Vida, as forças evolutivas e involutivas que por vezes nos energizam, as casas pretas dão-nos força negra e as casas brancas, força branca, representando o positivo e negativo, o equilíbrio em tudo.
  • Os Peões. Indicam as 8 Virtudes de Kundalini e que as devemos conquistar para podermos ser aceites por Devi Kundalini. Os Peões Representam as Massas Populacionais, o Povo.
  • Rei e a Rainha. Simbolizam o Homem e a Mulher, o género masculino e feminino que trabalham para a Grande Obra Divina da Vida, porém daqui surgem relações karmicas punitivas e/ou auxiliantes.
  • Os Bispos, os Cavalos e as Torres representam as Ordens/Sociedades Secretas:
  1. Os Bispos são a Lança e a Gadanha, simbolizando desta maneira a Mãe Divina fabricante de Corpos e desintegradora de Egos. Representam as Ordens Religiosas
  2. Os Cavalos: são a força que se vai adquirindo através do trabalho com a energia sexual transmutada, simboliza também a Inteligência, a Ousadia e a Astucia. Representam as Ordens Laborais, Militares e Bélicas.
  3. As Torres são a manifestação do Corpo Astral (dos Desejos)  e o Mundo Mental (da Racionalização). Representam as Ordens Políticas do Poder.

Se analisamos numericamente a quantidade de casas num tabuleiro, encontraremos 64 casas (6+4=10), que para efeitos cabalísticos, dá-nos um total de 10, o qual representa a Lei da Recorrência, a Repetição, a Retribuição, a Roda do Samsara, as forças evolutivas.  (Lei do Dharma+Lei do Karma = 5+5=10)

A quantidade de casas brancas é 32 (3 + 2 = 5), a lei do Dharma. Em linguagem mística da luz, quando nos iniciamos, quer no Jogo quer na Vida, existem forças brancas que nos dão as boas vindas, ou seja, quando nascemos somos “peões” com energia branca que nos indica o caminho da evolução. Porém como nada na Natureza é exacto, chega o momento em que somos postos à prova e somos confrontados com o sucesso/fracasso e mediante as nossas acções receberemos em conformidade as reacções que caracterizam a Lei do Karma e Dharma e ou nos fazem cair nas garras das forças involutivas e perdemos o jogo, ou por outro lado nas forças evolutivas e ganhamos o jogo ou ainda por seu lado nenhuma delas e empatamos permanecendo no mesmo Estado Evolutivo (caracterização da Roda do Samsara). A quantidade de casas pretas é de 32 (3 + 2 = 5), a Lei do Karma, que na linguagem mística das trevas é a decadência, a disfunção e a morte.

Todavia o bem e o mal não existem. Uma coisa é boa quando nos convém e má quando, igualmente por interesse, não nos convém. Na verdade o Ser Humano é um animal de interesses. O bem e o mal são uma questão de conveniências caprichosas do Corpo Mental. O homem que inventou as fatídicas terminologias do Bem e do Mal foi um atlante chamado “Makari Kronverzyon”, distinto membro da sociedade científica “Akaldan”, situada no continente perdido. Este velho sábio jamais suspeitou do grave dano que causaria à humanidade ao inventar esta duas terminologias antagónicas/facções.

Ler mais…

Anúncios

A História que nos escondem

Agosto 14, 2010 6 comentários

Ao longo dos milénios, séculos, décadas e anos da História do Mundo sempre existiram várias versões da História Real que tem sido adulterada e manipulada ao longo dos tempos conforme os interesses das elites, Religiosas, Espirituais, Esotéricas e Políticas, (institucionais ou não-institucionais), com o propósito de nos afastar da nossa matriz. A História contada é bem diferente daquela que aconteceu na realidade, perdurando para as gerações seguintes uma realidade falseada, sendo a falsificação da história cada vez maior à medida que os tempos iam avançando.

Porém, a grande infelicidade de quem adulterou e manipulou a História conforme os seus interesses, é que toda a verdade vem sempre ao de cima, mais cedo ou mais tarde, e quanto mais tarde for, toda a verdade surgirá de uma só vez, como a máxima do “Filósofo” Cristiano Ronaldo, “…como o ketchup!”.

Todavia sempre houve e ainda há quem resista e não se resigne com a adulteração da história da nossa humanidade, os seguidores das teorias de Madame Blavatsky, segundo a sua Doutrina Secreta passaram a acreditar e a divulgar uma versão diferente da História do Mundo. Os seguidores de Blavatsky defendem que a raça humana tem e está a passar por sete estágios pré-evolutivos, encontrando-nos no quinto estágio/raça-raiz, a raça Ária ou Ariana, à qual antecederam, 4ºRaça-raiz: a Atlântida, 3ºRaça-raiz: Lemúria, 2ºRaça-raiz: Hiperbórea e 1ºRaça-rai Protoplasmáticas. Conforme explicaremos em “posts” futuros.

Cada Raça-Raiz, tem sete sub-raças, das quais as duas primeiras são fisicamente não-manifestadas e as restantes 5 fisica mete manifestadas, sendo que cada raça-raiz corresponde a uma passa do nosso Planeta Terra, logo o nosso planeta Terra tem 7 vidas (como os gatos) e vai na sua 5º vida. Quando chegar ao fim do seu ciclo, ou seja, o fim da 7 raça-raiz, o Planeta Terra, das duas, uma, ou será um Planeta Morto tal e qual como a nossa Lua, chamada Selene, ou então transmutar-se-á “energeticamente” e transformar-se-á numa Estrela como o Sol.

Então assim e só assim é que poderá acabar ou elevar a vida da e na Terra…

Ler mais…

As causas do Sofrimento Humano

Julho 26, 2010 5 comentários

As Quatro Nobres Verdades

Não se pode negar que a vida (existência) esteja indissoluvelmente ligada ao sofrimento do corpo e da mente. Este sofrimento, como toda insatisfação, é causado pelo facto de os indivíduos estarem submissos aos seus desejos, à sua avidez de possuir e, sobretudo, ao seu egocentrismo.

O egocentrismo, a avidez e a cobiça, no entanto, podem ser compreendidos, sobrepujados e destruídos. Esta libertação pode ser alcançada seguindo um caminho racional de comportamento no plano do pensamento, da palavra e da acção. Ler mais…

O Dualismo Filosófico de Anael e Lilith

Abril 29, 2010 3 comentários

No precioso livreto Tratado Esotérico de Teurgia*, escrito pelo Venerável Mestre Samael Aun Weor, temos explicações detalhadas do Dualismo Filosófico dos grandes anjos e dos demónios. Um desses dualismos trata-se do luminoso Anjo do Amor, Anael, e do terrível demónio da luxúria, Lilith. Leiamos as palavras de Samael sobre suas experiências astrais com essas duas entidades:

O sendeiro da Alta Teurgia permite o estudo dos grandes Mistérios da vida e da morte. No entanto, é preciso aprender a sair conscientemente em corpo astral. Os que ainda não possuem esta faculdade, devem adquiri-la. Faz-se necessário um treinamento diário e rigoroso para se conseguir esta faculdade. Quando voltamos ao corpo, despertamos na cama. Muitos estudantes cometem o erro de se movimentarem na cama no momento preciso do despertar. Com tais movimentos, agita-se o corpo astral e perdem-se as recordações.

Ler mais…