Archive

Archive for the ‘Continentes Perdidos’ Category

5ºRaça-Raiz, Ária

Dezembro 15, 2010 6 comentários

A semente de nossa raça Ária ou Ariana é nórdica, porém, ao mesclar-se com os sobreviventes Atlantes, deram origem às sub-raças do Tronco Ário, cada raça tem igualmente sete sub-raças que espelham a única parte da História que nos contam e que academicamente conhecemos:

  1. A primeira sub-raça formou-se na Meseta Central da Ásia, chamava-se “Hashá”, eram uma civilização fortemente espiritual e poderosamente esotérica.
  2. A segunda sub-raça floresceu no sul da Ásia na época pré-védica, e então surgiram os “Rishis” da índia, uma raça com o culto da sabedoria e os esplendores que deram origem ao Império Chinês.
  3. A terceira sub-raça desenvolveu-se maravilhosamente no Egipto, Pérsia, Caldeia, Babilónia, etc.
  4. A quarta sub-raça deu à luz as civilizações Greco-Romanas.
  5. A  quinta sub-raça resultou da mescla dos Espanhóis e Portugueses com as raças autóctones das Américas.
  6. A sexta sub-raça foi perfeitamente manifestada com o Império Britânico e Alemão.
  7. A sétima sub-raça está perfeitamente manifestada no resultado de todas as mesclas das diversas raças, tal como hoje podemos evidenciar no território dos Estados Unidos, que se alastrará para todos os países do Mundo. Este é  o fenómeno que conhecemos por Globalização, que quando estiver completo marcará o fim da quinta raça-raiz e consequentemente inicio da sexta raça-raiz.

Algumas raças da quarta Raça colonizaram e coabitaram com as raças da quinta Raça, numa espécie de passagem de testemunho, actualmente ainda coabitam connosco, mas apenas as raças mais primitivas. Hoje somos a herança cultural de quarto Raças. Tal como a terceira Raça colonizou a quarta e esta colonizou a nossa, nós passaremos o nosso testemunho à sexta Raça-Raiz, mal esta surja no nosso Planeta, colaborando com o percurso planetário do nosso Planeta ao qual ainda lhe restam mais duas Raças, a sexta e sétima raças-raiz.

De vez em quando, as areias e os mares deixam a descoberto alguns destes preciosos tesouros perdidos e escondidos com e pelo Tempo que ninguém se atreve a tocar. Somente os Homens da Grande Sexta Raça-Raiz, Raça Khoradi, que nos sucederão e no futuro habitarão este planeta, é que poderão ver, tocar, conhecer e maravilhar-se com a esplendorosa História da qual também fazemos parte, caso provem ser dignos, com condutas e rectidão que Nós, Raça Ária, nunca demonstramos ter.

Introdução ao Tema:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/08/14/a-historia-que-nos-escondem/

1ºRaça-Raiz, Protoplasmática:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/11/1%C2%BA-raca-raiz-protoplasmatica/

2ºRaça-Raiz, Hiperbórea:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/12/2%C2%BAraca-raiz-hiperborea/

3ºRaça-Raiz, Lemúria:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/13/3%C2%BA-raca-raiz-lemuria/

4ºRaça-Raiz, Atântida:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/14/4%C2%BA-raca-raiz-atlantida/

5ºRaça-Raiz, Ária:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/15/5%C2%BAraca-raiz-aria/

4º Raça-Raiz, Atlântida

Dezembro 14, 2010 5 comentários

Na mitologia grega consta que Platão citava nas suas obras “Timeu ou a Natureza” e “Crítias ou a Atlântida”, que o Continente Perdido era uma enorme e próspera ilha que existiu há cerca 18 mil anos na zona do Oceano Atlântico que unia a Europa ao continente americano,  limitado pelas Colunas de Hércules (Estreito de Gibraltar) na Europa e pelo Vale da Atlântida (Golfo do México), na qual os ponto mais altos da ilha eram os pontos que hoje são conhecidas como os Açores, Madeira, Canárias e Cuba.

A Atlântida já perto da sua fase final, numa fase homologa àquela que a nossa Civilização está a viver

Para a Teosofia, os seres da quarta raça seriam muito semelhantes a nós e teriam habitado a Atlântida.

Os atlantes, são os primeiros a quem podemos chamar de “Homens”, são o quarto estágio ou raça raiz atlante. Os Atlantes foram os gigantes que viveram há cerca de 18 milhões de anos atrás, num continente desaparecido a Atlântida. A Raça Atlante representa metade da evolução da ronda planetária do nosso planeta Terra e, como em todos os estágios/raças, também têm sete sub-raças que a caracterizam e deram origem à nossa raça, o quinto estágio/raça-raíz, a nossa Humanidade. As sete sub-raças atlantes são:

1ºsub-raça Atlante- Ramoahal

2ºsub-raça Atlante- Tlavatli

3ºsub-raça Atlante- Tolteca

4ºsub-raça Atlante- Turaniana

5ºsub-raça Atlante- Semítica

6ºsub-raça Atlante- Acadiana

7ºsub-raça Atlante- Mongol

Segundo a Teosofia, os Atlantes foram os fundadores da Ciência, Religião, da Literatura, da Arte, da Alquimia e da Magia. O método de reprodução desta Raça é sexuado, que teve origem na terceira raça-raiz, a raça Lemurica.´

Os Atlantes conheciam a energia atómica e a utilizavam-na tanto na guerra quanto na paz. A ciência atlante teve a vantagem de estar ligada à magia. A tecnologia, sabedoria e conhecimentos da civilização atlante, no entanto, jamais poderiam ser superadas pelos das nossa civilização.

As lâmpadas atómicas iluminavam os palácios e os Templos de paredes transparentes. As naves marítimas e aéreas eram impulsionadas por energia nuclear. Eles aprenderam também a “desgravitacionar”, “desmaterializar” e “rematerializar” os corpos-físicos à vontade. Com um pequeno aparelho que cabia na sua palma da mão podiam levantar qualquer corpo por mais pesado que fosse.

O Deus Neptuno, também conhecido com Posseidon, para além de fundar Troia, governou sabiamente a Atlântida. O Templo Sagrado deste Deus Mitológico e Rei Atlante era revestido por paredes e muros prateados que assombravam pela sua beleza e as cúpulas e tectos eram todos de ouro maciço. O marfim, o ouro, a prata e o latão reluziam dentro do Templo de Neptuno com todos os régios esplendores dos antigos tempos.

Todos os ensinamentos religiosos da América primitiva, todos os cultos sagrados dos incas, maias, astecas, etc. etc…. Os Deuses e Deusas dos antigos gregos, fenícios, escandinavos, hindustânicos, etc., são de origem atlante. Assim como os Deuses e Deusas citados por Homero na Ilíada e na Odisseia, foram Heróis,  Reis e Rainhas da Atlântida.

O alfabeto fenício, pai de todos os alfabetos europeus, teve origem num antigo alfabeto atlante, que foi correctamente transmitido aos Maias pelos Atlantes. Todos os símbolos egípcios e maias, provêm da mesma fonte e assim se explica a semelhança, demasiado grande, para ser casualidade.

Os atlantes possuíam um metal mais precioso do que o ouro a que chamavam “Orichaulcum”.

Durante a evolução da raça atlante, os atlantes cruzaram-se com seres simiescos, originado os primeiros primatas. Segundo Helena Petrovna Blavtsky essa depravação, característica lemurica herdada pelos atlantes, foi o seu canto do cisne e foram karmicamente punidos com a destruição, através da intensíssima actividade vulcânica que provocou a grande Inundação,  do respectivo continente e da Raça, originando fortes fugas migratórias a quem tivesse sobrevivido para onde houvesse terra, originando os primórdios da nossa civilização, a 5ºRaça-Raiz, Ária, através da mescla entre ambas as Raças.

Introdução ao Tema:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/08/14/a-historia-que-nos-escondem/

1ºRaça-Raiz, Protoplasmática:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/11/1%C2%BA-raca-raiz-protoplasmatica/

2ºRaça-Raiz, Hiperbórea:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/12/2%C2%BAraca-raiz-hiperborea/

3ºRaça-Raiz, Lemúria:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/13/3%C2%BA-raca-raiz-lemuria/

4ºRaça-Raiz, Atântida:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/14/4%C2%BA-raca-raiz-atlantida/

5ºRaça-Raiz, Ária:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/15/5%C2%BAraca-raiz-aria/

Continua amanha com a nossa Raça, a Raça que corresponde à nossa Civilização, 5ºRaça-Raiz, Ária.

3º Raça-Raiz, Lemúria

Dezembro 13, 2010 6 comentários

Livros da Idade de Ouro “de 1927. Imagem assinada Pelo Próprio Churchward

A terceira raça-raiz é a primeira Raça e Civilização fisicamente manifestadas no Planeta Terra. As Raças lemures que originaram a raça atlante, habitaram o Continente Mu ou Lemuria que à imagem da Atlântida também é um continente perdido localizado algures entre o Oceano Pacifico e Índico conforme vem ilustrado na figura acima.

Esta raça era inicialmente hermafrodita, reproduziam-se por meio de um ovo que se desprendia do corpo. Esta raça passou por grandes transformações durante o seu período evolutivo. A meio de percurso lemuriano, os sexos separaram-se, consolidou-se o corpo físico e originou-se a reprodução sexuada, a depravação sistemática e perversa atracção do Homem pela Mulher (vice-versa) que igualmente caracterizam os nossos Tempos.

No final deste período lemuriano, a depravação e a perversidade sexual do Homem intensificou-se e foram punidos com o fim da imortalidade e passaram a conviver frequentemente com o que nós hoje chamamos de Morte. Com o passar dos tempos o período de longevidade dos seres lemuricos foi se tornando cada vez menor, condenando esta raça ao desaparecimento através do designado e relatado em todos os Livros Sagrados e Religiosos como “O Grande Dilúvio” e a famosa e épica Histórica da “Arca de Noé” que salvou casais de cada espécie e repovoou a Terra. De acordo com o narrado os sobreviventes desta Raça converteram-se na quarta Raça-raiz, a Raça Atlante.

Nome Idade ao ser pai Idade ao morrer
Adão 130 930
Sethe 105 912
Enos 90 905
Caim 70 910
Mahalelel 65 895
Jarede 162 962
Enouque 65 365
Matusalém 187 969
Lameque 182 777
Noé 500 950
Sem 100 600
Arpachede 35 438
Sela 30 433
Éber 34 464
Pelegue 30 239
Reú 32 239
Serugue 30 230
Naor 29 148
Tera 70 205
Abraão 100 175
Isac 60 180

A Época Lemuriana vem fortemente relatada no Livro Génesis e na Bíblia  Judaica conhecida para os Cristãos como Antigo Testamento.

As Histórias mais emblemática referente há Era Lemuriana são a de “Adão e Eva”, “A Revolta de Lilith” (primeira mulher de Adão) e o “Pecada Original da Maçã” que em muito condicionaram a História e a Vida da Humanidade.

Os primeiros seres lemurianos teriam esqueleto cartilaginoso, uma cauda, cujo atrofiamento deste órgão originou o apêndice, três olhos sendo um na nuca, hoje atrofiado, tendo dado origem à glândula pituitária, conhecida nos meios científicos por hipófise.

As Raças lemurianas eram Raças intelectualmente muito desenvolvidas porém também eram extremamente depravadas, perversas e belicistas, foi esse belicismo que acelerou o processo do seu desaparecimento.

Introdução ao Tema:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/08/14/a-historia-que-nos-escondem/

1ºRaça-Raiz, Protoplasmática:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/11/1%C2%BA-raca-raiz-protoplasmatica/

2ºRaça-Raiz, Hiperbórea:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/12/2%C2%BAraca-raiz-hiperborea/

3ºRaça-Raiz, Lemúria:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/13/3%C2%BA-raca-raiz-lemuria/

4ºRaça-Raiz, Atântida:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/14/4%C2%BA-raca-raiz-atlantida/

5ºRaça-Raiz, Ária:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/15/5%C2%BAraca-raiz-aria/

Continua amanha com a 4ºRaça-raiz, Atlântida.

2ª Raça-Raiz, Hiperbórea

Dezembro 12, 2010 6 comentários

Como foi dito no texto anterior sobre a 1ª Raça-raiz, não existe apenas um universo, existem vários, um chamado Multiverso que tem dois aspectos, um primeiro não-manifestado e outro manifestado quando cristalizado cujo objectivo é expandir-se e autoreplicar-se através das energias recebidas de todos os universos, seja energia positiva ou negativa, quanto mais energia receber mais cria e mais eficientes serão as próximas criações e/ou destruições de criações fracassadas.

Estas criações não se fizeram nem se fazem ao acaso, a autocriação, cristalização e destruição dos seus aspectos anseiam sempre por mais energia, por isso criam mais tipologia e variedade de vida física, novos universos, galáxias, sistemas, planetas, mundos, culturas, civilizações, sociedades, organismos multi-celulares, unicelulares, macromoléculas, moléculas, micromoléculas, átomos e partículas, para se alimentarem da energia gerada pelo maior número de matéria existente.

A segunda raça-raiz, a raça Hiperbórea era uma raça semi-etérea, fisicamente não-manifestada tal como a Raça Protoplasmática e viviam num continente chamado “Hiperbóreo”. Foi nesta raça onde apareceu a primeira Mente mas ainda muito rudimentar, no entanto, ainda não havia uma ponte entre o espírito e a matéria para haver sequer mentalidade e ainda muito longe da consciência. A Era Protoplasmática corresponde, analogamente, à fase embrionária do Homem na História da Humanidade.

No final deste período de evolução esta raça converteu-se na seguinte, a Lemúr ou Lemúriana.

Introdução ao Tema:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/08/14/a-historia-que-nos-escondem/

1ºRaça-Raiz, Protoplasmática:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/11/1%C2%BA-raca-raiz-protoplasmatica/

2ºRaça-Raiz, Hiperbórea:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/12/2%C2%BAraca-raiz-hiperborea/

3ºRaça-Raiz, Lemúria:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/13/3%C2%BA-raca-raiz-lemuria/

4ºRaça-Raiz, Atântida:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/14/4%C2%BA-raca-raiz-atlantida/

5ºRaça-Raiz, Ária:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/15/5%C2%BAraca-raiz-aria/

Continua amanha com a 3ª Raça-Raiz, Lemúr.

1ª Raça-Raiz – Protoplasmática

Dezembro 11, 2010 8 comentários

Segundo a Religião Egípcia e de conhecimentos herdados por várias Civilizações Antigas dos cinco cantos do Globo Planetário Terrestre, existem vários universos e um Multiverso, que tem apenas dois aspectos.

Os dois aspectos do Multiverso, chamam-se “neteru” (no singular:”neter”). O “neteru” é a massa infinita cósmica constituída por Nun (Nu ou Ny), este é o “neter” não-manifestado, mas quando esta massa se autocria e se torna real, é “Atum”, “neter” fisicamente manifestado. Esta passagem é semelhante à passagem do inconsciente para o consciente do Ser Humano. “Atum” é a cristalização do que é criado, incluindo a massa única universal que deu origem à grande explosão, o Big Bang, que despoletou a ”divina obra”, o universo físico tal e qual como o conhecemos.

A primeira raça-raiz é comum em todos os universos, é a raça Protoplasmática. Esta raça não nos é tangível, é constituída por éter, no sentido metafisico da palavra. Esta raça apareceu, no planeta Terra, há cerca de 300 milhões de anos, iniciando a ronda planetária do nosso planeta. Viviam no continente ao qual Blavatsky chamou “A Ilha Sagrada e Imperecível”. Os ancestrais da criação dos Homens (se é que podem ser chamados de “Homens”) são exclusivamente energia, levitam e não possuem corpo físico (são seres etéreos). A reprodução ocorre por cissiparidade (semelhante à reprodução de uma ameba). Como esta raça é imortal, nunca desaparecerão, e ainda coabitam connosco na Terra. São seres etéreos não manifestados no plano físico, que foram fulcrais para a nossa criação e evolução, pois converteram-se na segunda raça-raiz, a raça Hiperbórea. As duas primeiras raças são conhecidas como raças semidivinas…

Ler mais…

A Interpretação Gnóstica do Xadrez

Dezembro 9, 2010 6 comentários
O Jogo da Vida vulgarmente conhecido como Xadrez, é o Jogo que representa simbolicamente a Vida em si, o percurso de cada um em cujo objectivo é ascender, transmutar, como em alquimia, as energias e eliminar os nossos egos, limpando o nosso transfundo para de Seres Lunares (o que somos) ascendermos a Seres Solares (o que pretendemos ser). Porém a vida é um tabuleiro de xadrez, no qual cada um dos nossos actos é uma jogada. Se as nossas jogadas forem boas, inteligentes e oportunas o resultado será o êxito, saúde e longevidade. Se pelo contrário as nossas jogadas forem feitas de má-fé, egoístas e inoportunas, o resultado será o fracasso, a enfermidade e a morte.
  • O Tabuleiro: É o jogo da Vida e nunca sabemos quando jogamos a última partida. O Tabuleiro é um quadrado perfeito com 8 casas em cada um dos quatro lados. Representam as 8 Dimensões Cósmicas e as 8 realidade alternativas.
  • Os Quadrados Pretos e Brancos: Símbolo maçónico que representa o dualismo cósmico da terceira dimensão, representando o Yin e o Yang, a Roda do Samsara ou Roda da Vida, as forças evolutivas e involutivas que por vezes nos energizam, as casas pretas dão-nos força negra e as casas brancas, força branca, representando o positivo e negativo, o equilíbrio em tudo.
  • Os Peões. Indicam as 8 Virtudes de Kundalini e que as devemos conquistar para podermos ser aceites por Devi Kundalini. Os Peões Representam as Massas Populacionais, o Povo.
  • Rei e a Rainha. Simbolizam o Homem e a Mulher, o género masculino e feminino que trabalham para a Grande Obra Divina da Vida, porém daqui surgem relações karmicas punitivas e/ou auxiliantes.
  • Os Bispos, os Cavalos e as Torres representam as Ordens/Sociedades Secretas:
  1. Os Bispos são a Lança e a Gadanha, simbolizando desta maneira a Mãe Divina fabricante de Corpos e desintegradora de Egos. Representam as Ordens Religiosas
  2. Os Cavalos: são a força que se vai adquirindo através do trabalho com a energia sexual transmutada, simboliza também a Inteligência, a Ousadia e a Astucia. Representam as Ordens Laborais, Militares e Bélicas.
  3. As Torres são a manifestação do Corpo Astral (dos Desejos)  e o Mundo Mental (da Racionalização). Representam as Ordens Políticas do Poder.

Se analisamos numericamente a quantidade de casas num tabuleiro, encontraremos 64 casas (6+4=10), que para efeitos cabalísticos, dá-nos um total de 10, o qual representa a Lei da Recorrência, a Repetição, a Retribuição, a Roda do Samsara, as forças evolutivas.  (Lei do Dharma+Lei do Karma = 5+5=10)

A quantidade de casas brancas é 32 (3 + 2 = 5), a lei do Dharma. Em linguagem mística da luz, quando nos iniciamos, quer no Jogo quer na Vida, existem forças brancas que nos dão as boas vindas, ou seja, quando nascemos somos “peões” com energia branca que nos indica o caminho da evolução. Porém como nada na Natureza é exacto, chega o momento em que somos postos à prova e somos confrontados com o sucesso/fracasso e mediante as nossas acções receberemos em conformidade as reacções que caracterizam a Lei do Karma e Dharma e ou nos fazem cair nas garras das forças involutivas e perdemos o jogo, ou por outro lado nas forças evolutivas e ganhamos o jogo ou ainda por seu lado nenhuma delas e empatamos permanecendo no mesmo Estado Evolutivo (caracterização da Roda do Samsara). A quantidade de casas pretas é de 32 (3 + 2 = 5), a Lei do Karma, que na linguagem mística das trevas é a decadência, a disfunção e a morte.

Todavia o bem e o mal não existem. Uma coisa é boa quando nos convém e má quando, igualmente por interesse, não nos convém. Na verdade o Ser Humano é um animal de interesses. O bem e o mal são uma questão de conveniências caprichosas do Corpo Mental. O homem que inventou as fatídicas terminologias do Bem e do Mal foi um atlante chamado “Makari Kronverzyon”, distinto membro da sociedade científica “Akaldan”, situada no continente perdido. Este velho sábio jamais suspeitou do grave dano que causaria à humanidade ao inventar esta duas terminologias antagónicas/facções.

Ler mais…

A História que nos escondem

Agosto 14, 2010 6 comentários

Ao longo dos milénios, séculos, décadas e anos da História do Mundo sempre existiram várias versões da História Real que tem sido adulterada e manipulada ao longo dos tempos conforme os interesses das elites, Religiosas, Espirituais, Esotéricas e Políticas, (institucionais ou não-institucionais), com o propósito de nos afastar da nossa matriz. A História contada é bem diferente daquela que aconteceu na realidade, perdurando para as gerações seguintes uma realidade falseada, sendo a falsificação da história cada vez maior à medida que os tempos iam avançando.

Porém, a grande infelicidade de quem adulterou e manipulou a História conforme os seus interesses, é que toda a verdade vem sempre ao de cima, mais cedo ou mais tarde, e quanto mais tarde for, toda a verdade surgirá de uma só vez, como a máxima do “Filósofo” Cristiano Ronaldo, “…como o ketchup!”.

Todavia sempre houve e ainda há quem resista e não se resigne com a adulteração da história da nossa humanidade, os seguidores das teorias de Madame Blavatsky, segundo a sua Doutrina Secreta passaram a acreditar e a divulgar uma versão diferente da História do Mundo. Os seguidores de Blavatsky defendem que a raça humana tem e está a passar por sete estágios pré-evolutivos, encontrando-nos no quinto estágio/raça-raiz, a raça Ária ou Ariana, à qual antecederam, 4ºRaça-raiz: a Atlântida, 3ºRaça-raiz: Lemúria, 2ºRaça-raiz: Hiperbórea e 1ºRaça-rai Protoplasmáticas. Conforme explicaremos em “posts” futuros.

Cada Raça-Raiz, tem sete sub-raças, das quais as duas primeiras são fisicamente não-manifestadas e as restantes 5 fisica mete manifestadas, sendo que cada raça-raiz corresponde a uma passa do nosso Planeta Terra, logo o nosso planeta Terra tem 7 vidas (como os gatos) e vai na sua 5º vida. Quando chegar ao fim do seu ciclo, ou seja, o fim da 7 raça-raiz, o Planeta Terra, das duas, uma, ou será um Planeta Morto tal e qual como a nossa Lua, chamada Selene, ou então transmutar-se-á “energeticamente” e transformar-se-á numa Estrela como o Sol.

Então assim e só assim é que poderá acabar ou elevar a vida da e na Terra…

Ler mais…