Arquivo

Archive for the ‘Citações’ Category

Life After Life – Raymond Moody

Fevereiro 7, 2011 Deixe um comentário

Sugiro o visionamento atento e imprescindível deste documentários suavemente romantizado mas baseado em factos reais que nos explica conceitos básicos dos quais receamos e que por algum motivo, muitas vezes, nem queremos saber! A isto se chama, fugir de nós próprios!

Este filme leva-nos a sentir e reflectir sobre as razões para a efemeridade e fugacidade da Vida no Mundo Físico, abordando os motivos pelos quais temos esta curta passagem por esta supra-considerada realidade e que rumos há a escolher para além da morte física.

Assim, o realizador divulga relatos de “experiências de quase morte” de todo o tipo de pessoas sem discriminação de natureza alguma, entrevista crentes, cépticos e indecisos. Todos à sua maneira tocam em pontos chaves comuns. O que me leva a crer que há vida para além da morte e que nada há a temer por este acontecimento natural da nossa vida, que marca o fim de um ciclo e inicio de outra etapa da nossa evolução.

http://video.google.com/videoplay?docid=8159299309648507350# (versão original)

Este filme também ilustra o peso destas “experiências de quase morte” no quotidiano de quem as viveu, mostrando quais as consequências e mudanças benéficas construtivas… Em suma, vejam e deliciar-se-ão!

Versão legendada em português divida em 6 partes no Youtube:

Muslim Brotherhood Wants End to Egypt-Israeli Peace Deal

Fevereiro 3, 2011 1 comentário

Egypt’s banned Muslim Brotherhood movement has unveiled its plans to scrap a peace treaty with Israel if it comes to power, a deputy leader said in an interview with NHK TV.

Rashad al-Bayoumi said the peace treaty with Israel will be abolished after a provisional government is formed by the movement and other Egypt’s opposition parties.

“After President Mubarak steps down and a provisional government is formed, there is a need to dissolve the peace treaty with Israel,” al-Bayoumi said.

A Importância de Portugal no Mundo

Dezembro 16, 2010 2 comentários

Tomara que os Portugueses tivessem a mesma coragem, força de vontade e orgulho na nacionalidade como os Goeses pró-Portugueses tiveram! Viva Goa! Vivam os Goeses!

Revista Sábado, “Fugas”, 4 de Dezembro de 2010, pag. 42

Portugal, para os seguidores das correntes judaico-cristãs, tem uma enorme importância espiritual, por ser o Porto de Graal, que originou o nome do nosso país. Para os Muçulmanos é a Terra da filha do seu profeta, Fátima, que tanto veneram. E para a Raça Semita foi o porto de abrigo às migrações pós-Atlântida.

E por motivos geopolíticos convém que seja um país neutro e independente, por várias razões, primeiro, por ser o único país que fica há mesma distancia de Nova York e Moscovo, segundo é a porta de entrada e saída da e para a Europa através do Oceano Atlântico de grande parte do mercado negro nomeadamente oriundos do continente Americano e Africano.

Para além disso, a língua portuguesa é uma das línguas da Globalização. Não foi à toa que esta importante Cimeira da NATO e única em tratados e acordos políticos com a Rússia e o Afeganistão foi em Lisboa, capital de Portugal, para mais um passo, tal e qual como o Tratado de Lisboa, rumo à futura Ordem que avizinha que se implantará naturalmente quando o processo de Globalização, da qual Portugal foi pioneiro, estiver concluída.

Só quem desconhece a História de Portugal é que teme o Futuro do País e dos Portugueses… Dentro de cada português há um Segredo a descobrir, não é à toa que sempre soubemos dar a Volta por Cima perante as várias adversidades!

5ºRaça-Raiz, Ária

Dezembro 15, 2010 6 comentários

A semente de nossa raça Ária ou Ariana é nórdica, porém, ao mesclar-se com os sobreviventes Atlantes, deram origem às sub-raças do Tronco Ário, cada raça tem igualmente sete sub-raças que espelham a única parte da História que nos contam e que academicamente conhecemos:

  1. A primeira sub-raça formou-se na Meseta Central da Ásia, chamava-se “Hashá”, eram uma civilização fortemente espiritual e poderosamente esotérica.
  2. A segunda sub-raça floresceu no sul da Ásia na época pré-védica, e então surgiram os “Rishis” da índia, uma raça com o culto da sabedoria e os esplendores que deram origem ao Império Chinês.
  3. A terceira sub-raça desenvolveu-se maravilhosamente no Egipto, Pérsia, Caldeia, Babilónia, etc.
  4. A quarta sub-raça deu à luz as civilizações Greco-Romanas.
  5. A  quinta sub-raça resultou da mescla dos Espanhóis e Portugueses com as raças autóctones das Américas.
  6. A sexta sub-raça foi perfeitamente manifestada com o Império Britânico e Alemão.
  7. A sétima sub-raça está perfeitamente manifestada no resultado de todas as mesclas das diversas raças, tal como hoje podemos evidenciar no território dos Estados Unidos, que se alastrará para todos os países do Mundo. Este é  o fenómeno que conhecemos por Globalização, que quando estiver completo marcará o fim da quinta raça-raiz e consequentemente inicio da sexta raça-raiz.

Algumas raças da quarta Raça colonizaram e coabitaram com as raças da quinta Raça, numa espécie de passagem de testemunho, actualmente ainda coabitam connosco, mas apenas as raças mais primitivas. Hoje somos a herança cultural de quarto Raças. Tal como a terceira Raça colonizou a quarta e esta colonizou a nossa, nós passaremos o nosso testemunho à sexta Raça-Raiz, mal esta surja no nosso Planeta, colaborando com o percurso planetário do nosso Planeta ao qual ainda lhe restam mais duas Raças, a sexta e sétima raças-raiz.

De vez em quando, as areias e os mares deixam a descoberto alguns destes preciosos tesouros perdidos e escondidos com e pelo Tempo que ninguém se atreve a tocar. Somente os Homens da Grande Sexta Raça-Raiz, Raça Khoradi, que nos sucederão e no futuro habitarão este planeta, é que poderão ver, tocar, conhecer e maravilhar-se com a esplendorosa História da qual também fazemos parte, caso provem ser dignos, com condutas e rectidão que Nós, Raça Ária, nunca demonstramos ter.

Introdução ao Tema:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/08/14/a-historia-que-nos-escondem/

1ºRaça-Raiz, Protoplasmática:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/11/1%C2%BA-raca-raiz-protoplasmatica/

2ºRaça-Raiz, Hiperbórea:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/12/2%C2%BAraca-raiz-hiperborea/

3ºRaça-Raiz, Lemúria:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/13/3%C2%BA-raca-raiz-lemuria/

4ºRaça-Raiz, Atântida:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/14/4%C2%BA-raca-raiz-atlantida/

5ºRaça-Raiz, Ária:https://ptesoterico.wordpress.com/2010/12/15/5%C2%BAraca-raiz-aria/

A Interpretação Gnóstica do Xadrez

Dezembro 9, 2010 6 comentários
O Jogo da Vida vulgarmente conhecido como Xadrez, é o Jogo que representa simbolicamente a Vida em si, o percurso de cada um em cujo objectivo é ascender, transmutar, como em alquimia, as energias e eliminar os nossos egos, limpando o nosso transfundo para de Seres Lunares (o que somos) ascendermos a Seres Solares (o que pretendemos ser). Porém a vida é um tabuleiro de xadrez, no qual cada um dos nossos actos é uma jogada. Se as nossas jogadas forem boas, inteligentes e oportunas o resultado será o êxito, saúde e longevidade. Se pelo contrário as nossas jogadas forem feitas de má-fé, egoístas e inoportunas, o resultado será o fracasso, a enfermidade e a morte.
  • O Tabuleiro: É o jogo da Vida e nunca sabemos quando jogamos a última partida. O Tabuleiro é um quadrado perfeito com 8 casas em cada um dos quatro lados. Representam as 8 Dimensões Cósmicas e as 8 realidade alternativas.
  • Os Quadrados Pretos e Brancos: Símbolo maçónico que representa o dualismo cósmico da terceira dimensão, representando o Yin e o Yang, a Roda do Samsara ou Roda da Vida, as forças evolutivas e involutivas que por vezes nos energizam, as casas pretas dão-nos força negra e as casas brancas, força branca, representando o positivo e negativo, o equilíbrio em tudo.
  • Os Peões. Indicam as 8 Virtudes de Kundalini e que as devemos conquistar para podermos ser aceites por Devi Kundalini. Os Peões Representam as Massas Populacionais, o Povo.
  • Rei e a Rainha. Simbolizam o Homem e a Mulher, o género masculino e feminino que trabalham para a Grande Obra Divina da Vida, porém daqui surgem relações karmicas punitivas e/ou auxiliantes.
  • Os Bispos, os Cavalos e as Torres representam as Ordens/Sociedades Secretas:
  1. Os Bispos são a Lança e a Gadanha, simbolizando desta maneira a Mãe Divina fabricante de Corpos e desintegradora de Egos. Representam as Ordens Religiosas
  2. Os Cavalos: são a força que se vai adquirindo através do trabalho com a energia sexual transmutada, simboliza também a Inteligência, a Ousadia e a Astucia. Representam as Ordens Laborais, Militares e Bélicas.
  3. As Torres são a manifestação do Corpo Astral (dos Desejos)  e o Mundo Mental (da Racionalização). Representam as Ordens Políticas do Poder.

Se analisamos numericamente a quantidade de casas num tabuleiro, encontraremos 64 casas (6+4=10), que para efeitos cabalísticos, dá-nos um total de 10, o qual representa a Lei da Recorrência, a Repetição, a Retribuição, a Roda do Samsara, as forças evolutivas.  (Lei do Dharma+Lei do Karma = 5+5=10)

A quantidade de casas brancas é 32 (3 + 2 = 5), a lei do Dharma. Em linguagem mística da luz, quando nos iniciamos, quer no Jogo quer na Vida, existem forças brancas que nos dão as boas vindas, ou seja, quando nascemos somos “peões” com energia branca que nos indica o caminho da evolução. Porém como nada na Natureza é exacto, chega o momento em que somos postos à prova e somos confrontados com o sucesso/fracasso e mediante as nossas acções receberemos em conformidade as reacções que caracterizam a Lei do Karma e Dharma e ou nos fazem cair nas garras das forças involutivas e perdemos o jogo, ou por outro lado nas forças evolutivas e ganhamos o jogo ou ainda por seu lado nenhuma delas e empatamos permanecendo no mesmo Estado Evolutivo (caracterização da Roda do Samsara). A quantidade de casas pretas é de 32 (3 + 2 = 5), a Lei do Karma, que na linguagem mística das trevas é a decadência, a disfunção e a morte.

Todavia o bem e o mal não existem. Uma coisa é boa quando nos convém e má quando, igualmente por interesse, não nos convém. Na verdade o Ser Humano é um animal de interesses. O bem e o mal são uma questão de conveniências caprichosas do Corpo Mental. O homem que inventou as fatídicas terminologias do Bem e do Mal foi um atlante chamado “Makari Kronverzyon”, distinto membro da sociedade científica “Akaldan”, situada no continente perdido. Este velho sábio jamais suspeitou do grave dano que causaria à humanidade ao inventar esta duas terminologias antagónicas/facções.

Ler mais…

“A Inutilidade dos Sindicatos”

Novembro 24, 2010 1 comentário

Pensamento/Reflexão: Num dia de Greve Geral contra as “enésimas” medidas de Austeridade do Governo Socialista, convocado pela CGTP e UGT, é pertinente recordar evocando um artigo de Fernando Pessoa, um dos mais ilustres representantes da lusofonia no Mundo.

 

Ler mais…

O que é a Gnose? E o que há de Gnóstico no Universo e na Humanidade?

Novembro 10, 2010 Deixe um comentário

A Gnose é originária do substantivo do verbo grego, “gignósko”, que significa conhecer. Para os Gnósticos, praticantes da Gnose, a Gnose é o conhecimento superior, interno, cientifico, artístico, filosófico, espiritual e iniciático que representa um conhecimento que nos leva à autorealização e ao desenvolvimento harmonioso connosco mesmo e com aqueles que nos rodeiam. No grego clássico e popular chamam-lhe, “koiné”, cujo significado é semelhante ao da palavra “epistéme”, que na filosofia contemporânea significa conhecimento cientifico. Enquanto a palavra Gnose significa conhecimento, o seu antagónico é Agonia, que significa ignorância.

A Gnose origina muitas palavras do nosso quotidiano, como por exemplo, prognósticos e diagnósticos.  A verdadeira Gnose é universal e promove a libertação da consciência das suas limitações/Egos, estando dirigida a todos os Seres Humanos, independente da cultura, raça, crença e orientação sexual. A palavra Gnose é o conhecimento prático que nos guia na procura de um sentido e finalidade na nossa existência. A Gnose é a pedra basilar das nossas experiências. A Gnose é a unidade de medida do Autoconhecimento. A Gnose é a ciência da consciência, pela qual devemos compreender o que é a “consciência” e como a podemos despertar.

“Não é demais, neste tratado, esclarecer de forma enfática que o Gnosticismo é um processo religioso muito íntimo, natural e profundo; profundo esoterismo autêntico, desenvolvendo-se de instante em instante, com vivências místicas muito particulares, Doutrina e ritos próprios. Doutrina extraordinária que, fundamentalmente adopta a forma mítica e, às vezes, mitológica. Liturgia mágica e inefável, com viva ilustração para a Consciência Superlativa do Ser.”

Samael Aun Weor

Nós encontramos estes princípios, como denominadores comuns, em todas as tradições e correntes autênticas, cientificas e esotéricas, entre elas: Ciência, Arte, Filosofia e Religião, que constituem as quatro colunas do Autoconhecimento. Podemos encontrar esta realidade através de documentações e teorias escritas ao longo dos Séculos, “Bíblia”, “Apócrifos”, “A Doutrina Secreta” de H.P.Blavatsky, Budistas, Bhavagad-gita, Pitágoras, Mitologia, etc…).

AS QUATRO COLUNAS DO AUTOCONHECIMENTO OU OS QUATRO PILARES DA SABEDORIA GNÓSTICA:

  1. CIÊNCIA: A Ciências Pura baseia-se principalmente na Alquimia e na Kabala. Com a alquimia aprendemos quais as reacções físico-químicas para a transmutação das nossas energias e com a Kabala aprendemos a interpretar a linguagem, os números, as teorias e a simbologia, sendo ambas, as chaves para a Mudança Interior. A Ciência Pura é aquela que nos leva a constatar e experimentar, no nosso próprio corpo/nosso laboratório individual (somos detentores de 4 corpos, 1- Corpo Físico, anatómico, orgânico e fisiológico que tem ligações anatómicas aos restantes corpos da natureza Humana, 2- Corpo Mental, cuja ligação do corpo físico é através do Cérebro, 3- Corpo Astral, cuja ligação ao corpo físico é através do  Fígado e 4-Corpo Vital, cuja ligação ao corpo físico é através do Baço), as grandes realidades que ignoramos, já que a nossa consciência se encontra adormecida e aprisionada na nossa personalidade/mascara dos nossos Egos. Somos apenas 3% Essência (Consciência) e 97% Egos (Inconsciência). Para se despertar a consciência e libertar a essência dos egos utilizam-se distintas práticas: a Meditação, Auto-observação, Viver o Aqui-e-Agora, Viagens Astrais, desenvolvimento dos Chakras, Mantras, Regressões etc…
  2. ARTE: Em todos os tempos os grandes mestres da Arte objectiva, plasmaram numa linguagem oculta muitos sinais do caminho, entre eles: Leonardo Da Vinci, Miguel Ângelo, Wagner, Goethe entre muitos outros; foram não só grandes artistas como também grandes místicos. A Arte é constituída por sete subtipos, a Oratória, a Poesia, o Canto, a Música, a Dança, a Escrita e o Teatro.
  3. FILOSOFIA: A Filosofia é a arte do pensamento, é a ferramenta para nos dar as respostas às grandes questões inquietantes da nossa Vida: Quem somos? De onde viemos e para onde vamos? Qual é o sentido de nossa existência? A filosofia gnóstica é a filosofia do momento conhecida como “ZENIT”.
  4. RELIGIÃO: Yoga no sânscrito significa União com Deus. “A religião mais elevada é o Amor Fraterno”, ensina o Mestre Samael Aun Weor.  A palavra Religião vem da palavra greco-romana “religare”, que quer dizer, voltar a unir. Indica o princípio da “Lei do Um”, que une a nossa consciência individual à Consciência Cósmica Absoluta, denominada “Protocosmos”. A nossa pequena Essência (consciência) ou chispa Divina que se deve desenvolver, consubstanciando-se, para se reintegrar no Autocosmo, responsáveis pela criação dos Universos, antes de nos reunirmos no “Protocosmos” onde seremos Todos Um, ou seja, Energia.